CONTRIBUA COM A NOSSA MISSÃO:

CONTRIBUA COM A NOSSA MISSÃO:

Conta Corrente: n° 11.817-6 - Agência: 1369-2 (Banco do Brasil).
Seja um doador da "Casa da Sopa":
Doe Cadeiras plásticas, alimentos não perecíveis, pães, detergente, sabonetes, toalhas de banho e de rosto, roupas usadas, material de enfermaria (soro fisiológico, gases, algodão, luvas, alcool, etc), outros utensílios de cosinha e higiene(escova de dente, creme dental, estojo de barbear).
Faça também sua contribuição em dinheiro através de depósito bancário em nossa conta corrente no Banco do Brasil.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Sopa Fraterna em 21.01.2011

A Sopa Fraterna é realizada todas as sextas-feiras iniciada sempre a partir das 22:30 nas Praças do Carmo, do Ferreira e da Bandeira e finalmente no Hospital IJF(Instituto Dr. José Frota). Neste trabalho, motivados por canções religiosas, com mensagens de motivação e louvando a DEUS além da entrega da sopa (alimento físico) às pessoas em situação de rua, fazemos também a entrega do alimento espiritual através do Atendimento Fraterno onde abordamos os atendidos, conversando, entendendo suas histórias, seus problemas e convidando-os a conhecer a Casa da Sopa e as atividades desenvolvidas durante a semana. No IJF, além da atividade da sopa que oferecemos tanto aos moradores de rua como aos acompanhantes das pessoas que estiverem em atendimento neste hospital, na área externa do mesmo, realizamos vibrações, preces solicitando a ajuda do Mestre Jesus Cristo e a espiritualidade amiga para iluminar e abençoar, dando lenitivos a alma dos familiares e nossos irmãos com problemas de saúde que desencarnaram neste hospital.

Fotos da atividade deste dia:













quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Ação TOTVS Ceará com Casa da Sopa

Na última segunda feira, dia 17 de janeiro de 2011, realizou-se a ação TOTVS Ceará com a Casa da Sopa em atendimento a população em situação de rua. A Unidade TOTVS Ceará é uma empresa do segmento de tecnologia da informação fornecendo Sistema de Gestão Empresarial e Consultoria Especializada para várias empresas no estado do Ceará. A TOTVS sensibilizada com a sitação desta fatia da sociedade, a população em situação de rua, doou 4 ventiladores de parede para a Casa da Sopa, visando maior conforto aos atendidos na instituição, toalhas de rosto para viabilizar a infra estrutura para banho além de sabonete liquido e outros materiais de higiente como desinfetante e descartáveis.
A alimentação do dia com Sanduiches Hotdog e refrigerante tambem foi fornecida por esta empresa. 


Abaixo alguns depoimentos de funcionários desta empresa:

"Extremamente feliz fico eu, pela a oportunidade de conhecer o trabalho de todos que formam a Casa da Sopa. Lindo trabalho! Vocês não dão só comida ou um banho, coisa simples para qualquer um de nós. Vocês dão amor, atenção, afeto, palavras de carinho, enchem essas pessoas tão necessitadas de tudo, com esperança. Graças a Deus existem no mundo pessoas como vocês que dedicam algum tempo de suas vidas para ajudar o próximo. Já admirava muito esse tipo de iniciativa e depois de ter acompanhado, só poucas horas do trabalho de vocês, admiro muito mais. Parabéns a todos que fazem parte dessa Casa de amor. E parabéns a TOTVS por sua iniciativa. Fico orgulhosa por fazer parte dessa equipe." ( Aline Oliveira )

"Obrigada por nos dar a oportunidade de conhecer o projeto de vocês, eu e meu filho ficamos bastantes sensibilizados com a situação daquelas pessoas, e também, bastante felizes, em saber que existem pessoas como vc e seus amigos da casa da sopa que estão dispostos a ajudar, fazer o bem, e tentar passar algo de bom a eles." ( Katrine Soares )

"Obrigado por poder participar desta ação junto com a Casa da Sopa. Estou feliz por poder estar aqui."  ( Depoimento verbal do Sr. Paulo Morais )

Abaixo fotos do evento:






quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Forum dos Trabalhadores da Casa da Sopa

No último domingo, dia 16.01.2011, realizou-se forum com os trabalhadores e voluntários da Casa da Sopa para discutir os procedimentos para Atendimento Fraterno à População de Rua. Nesta ocasião, durante a manhã, tivemos uma esplanação da Sra. Lídia Pimentel, colaboradora da Casa da Sopa, apresentando o histórico do Movimento de Rua e a Política Municipal de Atenção a População de Rua. No horário da tarde o Sr. Leonardo Rodrigues, Coordenador da Casa da Sopa, junto com a Sra. Carla também colaboradora da Casa da Sopa, e os demais colaboradores discutiram os procedimentos e a padronizações para abordagem e orientações necessárias para atendimento à População de Rua.






sábado, 8 de janeiro de 2011

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

A Nossa História


“CARAVANA DO BEM”

Em meados de 1989, reunia-se na antiga União Espírita Cearense, um grupo de jovens decididos a visitar as ruas de fortaleza para levar SOPA a fim de acalmar a fome dos que moravam nas ruas.
O grupo logo percebeu que o problema das ruas não era só fome, havia ali gente com problemas variados, crianças em número muito maior do que encontramos hoje, prostituição, alcoolismo, pessoas com transtornos mentais e muito mais...
A recepção dos que viviam nas ruas foi a mais variada possível, desde a alegria e agradecimento a Deus pelo amparo concedido, ao medo de tomar sopa, supondo ter veneno para eliminar de vez a população de rua, e mesmo a agressão aos que se propunham a lhes servir.
De inicio a intenção do grupo era apenas uma visita e a entrega de sopa, nada de constituir dessa experiência uma ação continuada..., mas outros eram os planos dos Espíritos, a visita ficou rotineira, e todas as sextas-feiras, o grupo repetia rodada de sopa pelo centro da cidade, e aprendia a ajudar para além da fome do corpo.
Com o tempo a desconfiança dos moradores de rua foi diminuindo, e o grupo de voluntários aumentando, não tardou e o grupo de visita às ruas ao centro da cidade virou uma caravana.
A feitura da sopa acontecia em paralelo ao trabalho de Tratamento Espiritual, semelhante aos TE´s de hoje, uma grande mesa de madeira servia aos caravaneiros para a feitura da sopa, as doações iam chegando, e todos iam para o preparo, sem triturador, tudo tinha que ser bem picadinho na faca, assim exigia João Batista, seareiro vindo das bandas da Sociedade Espírita João o Evangelista, nosso cozinheiro mor (mais tarde, a garagem da casa de João, serviria como a primeira sede provisória da Casa da Sopa), ali temperada com a música de preparação para o TE, e os caravaneiros alimentados também pelos bolos e sucos de Dona Cecília, que morava nos fundos da União Espírita.
A caravana varava as madrugadas, pois o trabalho não raro, terminava às 3 ou 4 da manhã. Cobria a Praça José de Alencar, Praça da Estação, Praça Clóvis Beviláqua, Praça coração de Jesus, Praça do antigo Mercado Central, Praça da Secretaria de Segurança Pública, Rua Assunção com Pedro Pereira, Rua Barão do Rio Branco com São Paulo, Santa Casa de Misericórdia e em determinado tempo o viaduto da Borges de Melo com BR 116.
Ali mesmo, no ambiente das ruas, improvisava-se o atendimento fraterno, a consulta médica, os pequenos curativos, e até mesmo pequenas cirurgias... É! Tirar bicho de pé em baixo do Viaduto da Borges de Melo era quase uma cirurgia...
Ainda nas ruas procurava-se ver questões de documentação, e encaminhamento a emprego, ou mesmo auxílio para a viabilização de pequenos negócios.
A rua era o palco dos dramas variados que Caravana do Bem encontrava e nas ruas mesmo se dava o ensaio para novas realidades que a “Caravana Invisível” dos Espíritos superiores preparava para aqueles serviços...