CONTRIBUA COM A NOSSA MISSÃO:

CONTRIBUA COM A NOSSA MISSÃO:

Conta Corrente: n° 11.817-6 - Agência: 1369-2 (Banco do Brasil).
Seja um doador da "Casa da Sopa":
Doe Cadeiras plásticas, alimentos não perecíveis, pães, detergente, sabonetes, toalhas de banho e de rosto, roupas usadas, material de enfermaria (soro fisiológico, gases, algodão, luvas, alcool, etc), outros utensílios de cosinha e higiene(escova de dente, creme dental, estojo de barbear).
Faça também sua contribuição em dinheiro através de depósito bancário em nossa conta corrente no Banco do Brasil.

domingo, 21 de setembro de 2014

Trabalho das Famílias em 20.09.2014

Meus irmãos, neste sábado, passado, 20.09.2014, realizamos mais uma atividade das famílias, onde tivemos a felicidade de assistir 23 das que recebemos em nossa Casa da Sopa.

Do pouco alimento que recebemos, através de doações, com a graça divina, conseguimos dividir e atender com felicidade a todos. Recebemos e demos muito carinho aos que estiveram conosco. Inciamos o trabalho com um breve relaxamento, aplicação de passes e prece. Logo após, realizamos estudo onde todos participaram, à luz da doutrina espírita. Com as crianças tivemos atividades lúdicas entre desenhos e brincadeiras.

No próximo mês, sempre no terceiro sábado, exatamente no dia 18.10.2014, teremos a comemoração do dia das crianças.

Como em todas atividades de nossa casa, necessitamos de sua colaboração. Solicitamos doações de gêneros alimentícios e brinquedos para darmos às famílias e suas crianças. Contamos com o apoio de todos!

Vejam fotos deste evento:



















sábado, 21 de junho de 2014

Psicografias: "A trave que está em vosso olho" e "Convite:Santificando-se no trabalho"

 "A trave que está em vosso olho"

"'Olhai'..., 'Buscai'..., '...a trave que está no vosso', '...porque olhando, não veem'...
Dedicou O Senhor inúmeras passagens à busca, à visão, à cegueira espiritual ou moral, nos seus anos de ensino pela vivência.
E muito há para ver, no atual instante de nossa Casa e nos eventos mais recentes que vos inquietaram.
Ver o que está faltando, ou faltou, não no outro mas em nós. Orei o bastante? Refleti o bastante? Colaborei, servi o bastante? Amei? Onde estavam os meus ouvidos, minha fala, meu toque, meus olhos quando vieram os momentos de desafio? Falhei com a Casa? Com a causa?
Se a resposta nos for desfavorável, à luz da própria consciência, retomemos com mais vigor o arado, a charrua, o bornal onde guardarmos as sementes da bem-aventurança, para servir mais.
É forte a investida das trevas, dos infelizes e dementados, nesta hora, contra todas as instituições do bem e contra os que, nelas matriculados, buscam se reconstruir.
Não esmorecer, nem desanimar. Olhar a vida, o mundo, refletir profundamente sobre suas ilusões e arrastamentos, até entender onde estão a vida verdadeira e a felicidade mais proveitosa ao nosso espírito...

Recomendando-nos a união do feixe de varas, vos deixamos a rememoração do nosso afeto e carinho para convosco."

"Convite: santificando-se no trabalho"

"Dentro da fieira natural das nossas dificuldades na vida, é preciso perquirirmos se são mesmo de monta a nos afastar das tarefas dantes abraçadas com fervor e fé.
A oportunidade de perseverar nos serviços do bem, em meio às constrições de tempo, dinheiro, saúde, lugar etc. é assaz valiosa para o cristão, que, em optando pelo maior sacrifício, vence uma primeira de tantas provações que o candidatarão a maior cota de responsabilidades espíritas ou espiritualistas, nesta ou numa outra vida.
Foi, por exemplo, na liça das angústias e do depauperamento pessoal completo que Saulo de Tarso, Francisco de Assis, Antônio de Pádua, Irmã Dulce, Bernardo Bonaventura e outros se irmanaram a Cristo, santificando-se no trabalho.
O convite atemporal é da mesma natureza, para nós hoje, como para aqueles ontem, conforme, naturalmente, o roteiro de vida de cada um.
Nunca desertar, nunca esmorecer.
Com cristo, sempre.
João."

sábado, 14 de junho de 2014

Ajude Dona Maria a retornar a seu lar

Meus amigos, ontem no trabalho de distribuição de sopa, no IJF encontramos esta senhora de nome "MARIA VIEIRA DE LIMA" que está perdida nas ruas. Ela estava dormindo nas redondezas da lanchonete deste hospital. Informou-nos que tem 52 anos, mas visivelmente tem mais idade. Disse que saiu de casa porque alguém a batia e que teria levado uma pancada na cabeça. Disse que tem cartão de aposentadoria o que nos fez também acreditar que tem mais idade. Falou que o nome da sua mãe é Raimunda Vieira de Lima e o pai Antônio Lima, os dois falecidos. Uma irmã dela se chama Zefinha e que morava próximo a CEASA. Suas falas eram entrecortadas e desencontradas. Falava que dormia nesta localidade do IJF e que durante o dia ficava perambulando para tomar banho e pegar merenda. Está há mais de mês pelas ruas. Se alguém conhecer esta senhora, favor ir à noite para a lanchonete do IJF que lá terão noticia dela. Abaixo algumas fotos que ela nos autorizou a tirar:
 



sábado, 24 de maio de 2014

sábado, 3 de maio de 2014

Psicografia - Exercício para felicidade

Se quer sentir alegria: apenas sorria;

Se está sentindo dor: não a estimule;

Se sente vazio: encha-se com o desejo de servir;

Se busca ternura: doe afeto;

Se deseja um amigo: seja também;

Se não confia: tente observar aquele que em ti acredita;

Se pensa no sofrimento: não deixe ele te dominar, não somatize;

Se perdeu a esperança: tente confiar mais na força que move tua vida;

Se tentas encontrar razão para teu viver: lembra das lições do redentor;

Se não se sente digno do amor: tente apenas dar amor;

Se a fé te mobiliza: transforme-a numa semente que possa ser plantada nos jardins daquele que não a tem mais;

Sede o mensageiro de Deus a transformar em poesia tudo ao teu redor.

 

Rosália.

 

Psicografia realizada no Grupo Espírita Casa da Sopa em 02/05/2014.

quinta-feira, 6 de março de 2014

"O primeiro ingrediente é o Amor" - Receita para a Sopa Fraterna

Essa receita foi escrita por um trabalhador da casa em um momento de inspiração. Ela ensina a fazer uma sopa deliciosa para ser consumida não só como alimento para o corpo, mas também como alimento espiritual.
As medidas foram feitas para uma quantidade de 3 kg de cenoura, 3kg de batata inglesa, 3kg de abóbora, 2kg de cenoura, e cerca de 4 pacotes de macarrão, e rendem uma sopa bem consistente. Podem ser adicionados outros ingredientes como ervilha, beterraba ou milho, a gosto de quem cozinha; só não pode esquecer do primeiro e principal ingrediente... o AMOR.

 


Abaixo a transcrição do texto:

Receita Para a Sopa:

"O primeiro ingrediente é o Amor"

- Ralar ou cortar em pequenos cubos todos os legumes. Se cortar um dia antes, conservar em vasilha com água para não ficarem roxas, principalmente as batatas. Aproveitar esta mesma água para utilizar no cozimento dos legumes.
- Cortar o cheiro verde bem picadinho. (cebola, alho, coentro, salsa)

Preparo da soja:
- Juntar toda a soja (total 3 pacotes de 500g) com o cheiro verde, acrescentar 1 caixa grande de caldo de carne (12 tabletes). Colocar água fervida, aproximadamente 1 Litro. Reservar.
- Coloque um pouco de colorífico para dar cor ao alimento (não exagere).

Preparo da Sopa:
- Colocar água para ferver ( aproximadamente 10 litros em cada panela).
- Quando a água começar a ferver, acrescentar aos poucos os legumes com a mesma água onde foram reservados. (colocar dividindo entre as panelas)
- Deixar as verduras cozinhando.
- Quando começar a fervura dos legumes, adicionar, dividindo entre as panelas, a soja.
- Deixe cozinhando.
- Agora pegue o macarrão, quebre bem picadinho, e acrescente aos poucos entre as panelas.
- Fique mexendo para o macarrão não colar na base das panelas.
- Deixe cozinhar um pouco mais.
- Agora é a vez da farinha de milho (fubá). Acrescente aos poucos mexendo a sopa para não engrossar e ficar os cubos da farinha. Despeje lentamente dividindo entre as panelas. (para essa ação você precisará no máximo de meio pacote)
- Deixe a sopa fervendo, mexendo sempre e acompanhando o cozimento.
- Quando considerar que está próximo de terminar, faça uma prova para sentir o ponto do sal. Caso precise (sempre precisa) coloque um pouco de sal até chegar o ponto do sabor ideal.

Recomendação: todo este trabalho é de fraternidade e amor. Durante o processo esteja em prece, dedicando suas orações aos irmãos que irão se alimentar. 
Boa Sopa! Muita Paz!

domingo, 26 de janeiro de 2014

Expiação e Revolta

            A semeadura do Consolador há tempos que lança as suas sementes sobre a terra, mas ainda não se deu o tempo de toda a colheita, por isso mesmo vê-se o joio ainda misturado à boa erva, mas com o tempo limitado para que possa regenerar-se ainda nesse solo, transubstanciar-se, morrendo, para renascer, ressurgindo em bom grão, para nova semeadura, novas plantações, nova colheita...
           Dentre os que são alcançados pelos sofrimentos do mundo há os que em provas, aproveitam para trabalhar a natureza do seu coração e renovam-se, tornando melhor a sua maneira de agir. Outros há, porém, que ao lado daqueles, a expiação se apresenta em forma de remédio amargo, causando por vezes a revolta, rebeldia que é consequência das matrizes emocionais que precisam ser transformadas.
 Na visão da psicologia espírita, quando o ser está em provação, via de regra encara as dificuldades da vida com maior tolerância e resiliência, fruto do amadurecimento psíquico antecipado para a experiência probatória que irá lhe proporcionar a aquisição de novas conquistas éticas e espirituais. Do contrário a experiência expiatória pode ser evidenciada através das expressões de rebeldia, de ingratidão e não raro de blasfêmias proferidas contra Deus, ou seus próprios benfeitores de jornada. É a consequência de um ser frágil, que não forjou o seu caráter o suficiente para a experiência dolorosa que o atingiu, e que dada às leis sábias e soberanas do amor e da justiça, é submetido, para seu próprio bem a essa experiência, por ser a consequência do seu comportamento, efeito dos seus equívocos perante si mesmo, perante Deus e seu próximo.
             
          Quando encontrares esses espíritos em teu caminho, estejam no corpo ou fora dele, aguça a tua percepção psíquica e coloca-te com cautela na condição de um aprendiz, para melhor ajuda-los. É bem possível, que alguns, por serem por demais orgulhosos, troquem a ação do verbo pedir, pela atitude equivocada do verbo agredir, desejando com isso obter o benefício a qualquer custo, sem submeter o seu orgulho à disposição daquele a quem pede, revelando com isso que a terapia das dificuldades que enfrenta é destinada a tratar o ego por demais inflamado, convencido em demais de um valor próprio em detrimento do valor alheio. Entretanto, se podes, conforme as diretrizes da tua função oferta-lhe a oportunidade dos recursos que lhes garanta o equilíbrio social de que se encontram necessitados, que essa atitude, certamente em algum momento lhes servirá de estímulo ao reconhecimento do valor de um auxílio, quando pode ter negligenciado, nessa ou em outras experiências de vida, a oportunidade de servir a alguém, quando tinha poderes para isso.
No entanto, quando se apresente o momento mais propício, aponta-lhe aquele caminho da humildade, que reconhecendo Deus todo poder, ergue-se em seu agradecimento para tudo o que a vida poder lhe presentear.
Diante daqueles, que na rua ou em casa, no trabalho ou em qualquer lugar, demostre revolta diante dos sofrimentos, silencia até o momento mais adequado, aquele em que o ser se torne mais receptivo, como o solo em que há um momento mais propício para que nele se deposite a semente, e somente nesse momento, fala se é o momento das palavras, mas, sobretudo demonstra como bem proceder em todas as situações de aflição. Porque tu, embora em provas, ou mesmo em situação expiações, já recebeu como guia seguro os roteiros de vida do Consolador, e nessa hora decisiva, está sendo chamado para trabalhar em sua seara, para alertar o joio da necessária mudança, ante a proximidade do tempo da colheita e minimizar os conflitos no mundo, que podem mutilar a boa erva, que produz o bom grão.
 Irmã Clara
 Mensagem Psicografada no Grupo Espírita Casa da Sopa, em 17 de janeiro de 2014

sábado, 4 de janeiro de 2014

Sopa Fraterna dia 03.01.2014


O ano começou e a missão da Casa da Sopa de manter o vínculo com nossos irmãos em situação de rua permanece e neste dia 03.01.2014 realizamos a distribuição de sopa, levando junto ao alimento nosso carinho e atenção associados ao sentimento de amor fraternal. Veja as fotos deste dia de trabalho da nossa equipe de voluntários: